MENESTREL IALMAR PIO SCHNEIDER


13/06/2013


>>

SONETO de IALMAR PIO - IMAGEM: retrato do poeta na Internet

Fernando Pessoa

 

SONETO A FERNANDO PESSOA - In Memoriam - Data de nascimento do poeta em 13.6.1888 - escrito em 13.6.2011 - . -

P´ra Fernando Pessoa este soneto,
em que pretendo ter a liberdade,
de ofertar-lhe com toda lealdade,
no que me empenho e então me comprometo,

os versos que nasceram da ansiedade,
como quem pinta um quadro em branco e preto,
finalizando o último quarteto
com o pincel da dor e da saudade...

´´Cartas de amor ridículas´´, talvez...
mas eu as escrevi sem o saber,
outrora quando tinha solidão...

Hoje as relembro e tenho a sensatez,
de havê-las enviado por prazer,
nos momentos de sonho e sensação...

IALMAR PIO SCHNEIDER

Legal

 



  08/11/2012 02:50 - publicado por IALMAR PIO   [ Alterar ]   [ Excluir ]  

TROVAS de IALMAR PIO - IMAGENS da INTERNET

30/11/2008


TROVAS de IALMAR PIO

 

 

O poeta é um fingidor.

Finge tão completamente

Que chega a fingir que é dor

A dor que deveras sente.

 

FERNANDO PESSOA

 

******************************

QUADRAS de IALMAR PIO

 

Nobre Fernando Pessoa,

Tão ilustre fingidor,

Ó poeta de alma boa,

Foste também trovador !...

 

No entanto, dou meu conceito,

sempiterno sonhador,

porque deve ser perfeito,

nunca se finja no Amor !

 

Aqui modulo meu canto,

E ouço o sabiá cantor,

Em seu mavioso acalanto,

Para eu fingir minha dor...

 

Porto Alegre – RS, 29.11.2008

 

Sabiá

 Obs.: Em 30 de novembro de 1935 morre, aos 47 anos,

um dos maiores poetas da língua portuguesa, Fernando Pessoa.

Cfe.: Almanaque Gaúcho da ZERO HORA de 29.11.2008

 

 

Escrito por IALMAR PIO às 00h37

Apaixonado

 



  22/08/2012 00:36 - publicado por IALMAR PIO   [ Alterar ]   [ Excluir ]  

QUADRAS DE IALMAR PIO parafraseando FERNANDO PESSOA - Imagem da Internet

 

Fernando Pessoa
quadras parafraseando Fernando Pessoa.
 

O poeta é um fingidor.

Finge tão completamente

Que chega a fingir que é dor

A dor que deveras sente.

 

FERNANDO PESSOA

 

******************************

QUADRAS de IALMAR PIO

 

Nobre Fernando Pessoa,

Tão ilustre fingidor,

Ó poeta de alma boa,

Foste também trovador !...

 

No entanto, dou meu conceito,

sempiterno sonhador,

porque deve ser perfeito,

nunca se finja no Amor !

 

Aqui modulo meu canto,

E ouço o sabiá cantor,

Em seu mavioso acalanto,

Para eu fingir minha dor...

 

Porto Alegre – RS, 29.11.2008

Apaixonado

Escrito por IALMAR PIO às 01h36
[ ] [ envie esta mensagem ]

SONETO em HOMENAGEM ao Patriarca da Independência - Imagem: retrato na Internet

SONETO - Ialmar Pio Schneider

JOSÉ BONIFÁCIO – Nascimento em 13.6.1763 - Morte 6.4.1838 – Em 6.4.2011 – Porto Alegre - RS

 

Ialmar Pio Schneider

 

Foi o Patriarca da Independência,

homem sábio e romântico poeta,

cujos versos “Teu Nome”, com paciência,

cantaram sua musa predileta...

 

Nobre cultor de escrita tão correta,

trilhou pelos caminhos da ciência,

e logrou atingir a sua meta

ao longo de fantástica existência...

 

Mas também teve sua frustração,

quando o nome da musa se apagou

nos troncos e nas praias e na estrela...

 

“Murchou nas flores”; e na solidão

por horas infelizes mergulhou,

e talvez nunca mais pôde revê-la...

 

Porto Alegre – RS, Tristeza – em 6.4.2011

às 12h30min. –

 

http://www.sonetos.com.br/meulivro.php?a=44&x=6&y=3

em 6.4.2011

http://ial123.blog.terra.com.br/

em 6.4.2011

 

Legal

Escrito por IALMAR PIO às 01h23
[ ] [ envie esta mensagem ]

Dia de Santo Antônio - 13 de junho - Imagem da Internet

 

Santo Antônio de Pádua

SONETO A SANTO ANTÔNIIO II - em 13.6.2011 - Porto Alegre - RS . -

É dia de Santo Antônio,
o santinho milagroso,
que alegra quem é tristonho
com seu gesto poderoso...

Realiza qualquer sonho,
num momento esplendoroso,
e abençoa o matrimônio,
seja jovem, seja idoso.

Pra que vivamos felizes,
pedimos que nos acuda
em toda nossa existência.

Assim teremos raízes,
e com sua forte ajuda,
uma linda convivência...

IALMAR PIO SCHNEIDER

Legal

 

Escrito por IALMAR PIO às 00h26
[ ] [ envie esta mensagem ]

11/06/2013


02/09/2007

 

 

 

PANTUM DE UMA TROVA

 

 

Pantum em homenagem à bonita trova de Ialmar Pio, com meu apreço e admiração. 

 

Um abraço.

 

José Lucas

Natal/RN

 

 

PANTUM DA CAMINHADA NA AREIA

 

Trova-tema:

 

-Eu caminho lentamente

Pelas areias do mar,

Debaixo do sol ardente

Que descamba devagar.

   (Ialmar Pio)

 

Pelas areias do mar,

Sob a forte luz do dia,

Que descamba devagar,

Peço ao vento uma poesia.

 

Sob a forte luz do dia,

Antes que chegue o arrebol,

Peço ao vento uma poesia

Incendiada de Sol.

 

Antes que chegue o arrebol,

O dia deita na areia

Incendiada de Sol,

Tentando ouvir a sereia.

 

O dia deita na areia

O seu cansaço indolente;

Tentando ouvir a sereia,

Eu caminho lentamente.

(José Lucas)

 

     N.B. - Agradeço ao nobre confrade amigo trovador e poeta José Lucas, pela distinção e generosidade com que agraciou minha modesta trova com o lindo pantum. Obrigado sempre - Ialmar Pio 

 

 

Escrito por IALMAR PIO às 02h59
[ ] [ envie esta mensagem ]

10/06/2013


15/06/2011 17:43
Comentar esta mensagem
  Amigo gosto muito das suas cronicas. sempre dou uma passadinha por aqui..para le las.. Obrigada pelo seu carinho.. beijão
*INGRIDI* | ivone-sanches@uol.com.br |  16/06/2011 10:49
Responder este comentário

 

Escrito por IALMAR PIO às 22h45
[ ] [ envie esta mensagem ]

SONETO de IALMAR PIO - AQUARELA de ÂNGELA PONSI

 

 

Aquarela de Ângela Ponsi

DESILUSÃO

 

                            Ialmar Pio Schneider

 

                            Quantos anos passaram - nem sei quantos !

                            e continuei te amando sempre mais

                            como se não vivesse os desencantos

                            de ver murcharem flóreos ideais.

 

                            Na solidão, vivias em meus cantos,

                            quando ainda compunha madrigais,

                            tão fascinado pelos teus encantos

                            que hoje talvez não me fascinem mais.

 

                            Nunca soube por que nos separamos

                            sem razão aparente ao meu alcance,

                            e vejo com pesar que fracassamos

 

                            em nosso bem-querer, triste castigo;

                            um capítulo apenas do romance

                            que procuro olvidar mas não consigo.

 

                   Pág. 20 - O TIMONEIRO - CANOAS, 14.9.84

_______________________________________________________________________

                           

 

Apaixonado

 

Escrito por IALMAR PIO às 22h43
[ ] [ envie esta mensagem ]

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Sul, PORTO ALEGRE, TRISTEZA, Homem

Histórico